Escolha o aquecedor certo para os ambientes de sua casa

Conheça as opções de modelos, suas vantagens e desvantagens

A chegada do frio acaba aumentando a venda de equipamentos como aquecedores. Mas com a quantidade e a variedade de produtos disponíveis no mercado, como escolher o ideal? É preciso conhecer as possibilidades e quais vantagens cada uma oferece, além de levar em consideração o ambiente que vai receber o equipamento.

Como principais aparelhos portáteis pode-se citar aquecedor a óleo, cerâmico, a gás, termoventiladores e de resistência - incandescente, a quartzo, cerâmica, entre outras. Esse último tipo é genericamente chamado de aquecedor elétrico, embora todos os outros modelos (com exceção ao a gás) também utilizem energia elétrica em alguma etapa do processo.

Os aquecedores funcionam a partir do mesmo princípio: esquentam o ar em volta do aparelho e fazem-no dissipar, aquecendo outra porção na sequência e assim sucessivamente. A diferença está na forma como esse aquecimento acontece e como é a troca de calor com o ar. A arquiteta Helena Karpouzas, do escritório Inverso AA, e o engenheiro mecânico Gilsomar Gabriel da Silva, da empresa de climatização Ambientech, detalham o assunto e dão dicas para compra e manutenção.

Modelos com resistência incandescente aquecem mais rápido porém consomem mais energia

Modelos com resistência incandescente aquecem mais rápido

Tipos de aquecedor
>> Elétrico (com resistência)
Os modelos com resistência incandescente são os mais baratos do mercado, e variam de preço de acordo com o tamanho e a potência. Sua resistência fica aparente e o calor entra em contato direto com o ar, por isso o aquecimento do ambiente é rápido. Por outro lado, tendem a concentrar o calor nas proximidades, sendo menos eficientes para espaços mais amplos.

Termo-ventiladores têm hélice que ajuda na renovação do ar, ou seja, aquecem o ambiente mais rápido

Termoventiladores têm hélice que ajuda na renovação do ar

Os do tipo termoventiladores têm uma hélice para acelerar a renovação do ar ao redor do aparelho, ampliando o alcance e esquentando mais rápido. Algumas opções também têm mais de uma potência no mesmo equipamento, adaptando-se a situações mais ou menos frias. Também possuem ruído semelhante ao de um ventilador, alerta Helena.

Indicados a espaços médios e pequenos, os aquecedores elétricos consomem mais energia do que outros modelos. São leves e fáceis de transportar, e algumas opções podem ser presas à parede.

>> A óleo
Nesses equipamentos, o óleo é aquecido e troca calor com o ar do entorno. São silenciosos, porém demoram mais para começar a fazer efeito, já que é preciso o óleo estar quente primeiro. É possível encontrar modelos com termostato, mecanismo que mede a temperatura do ambiente e a mantém estável, regular. Aparelhos de chão, em geral são indicados para espaços pequenos e médios, como banheiros e quartos. A economia, em relação aos elétricos, fica na casa dos 15%, segundo Silva.

Aquecedores a óleo são 15% mais econômicos do que os elétricos

Aquecedores a óleo são 15% mais econômicos do que os elétricos

>> Ar-condicionado com ciclo reverso (quente/frio)
São modelos que resfriam e também aquecem o ambiente, quando na opção ciclo reverso. Também chamados de ar-condicionado quente/frio, são indicados a espaços maiores. Segundo Helena, é comum as famílias combinarem tecnologias, usando aquecedor portátil no banheiro e ar-condicionado na sala e nos quartos. A vantagem é ter um único aparelho com duas funções.

>> A água
Também para espaços grandes, essa opção implica instalação de um sistema de calefação, que vai usar gás, óleo ou lenha para aquecer a água e esta, então, esquentar o ambiente. No casos das alternativas a gás que são ligadas ao botijão da cozinha ou à rede do condomínio, a arquiteta aconselha utilizá-las apenas em espaços com ventilação e boa circulação de ar. "E tem a desvantagem de ser muito caro", acrescenta.

Sistemas de calefação geralmente vêm prontos com a entrega do prédio ou, caso você queira instalar na sua casa ou condomínio, prepare-se para a quebradeira na hora de passar a tubulação.

>> Cerâmicos
Esses modelos esquentam rápido, pois a cerâmica absorve o calor gerado em vez de se dissipar diretamente no ar. Segundo Helena, são mais barulhentos que os modelos a óleo, com ruído que se assemelha ao do ar-condicionado, porém mais econômicos que os aparelhos elétricos. Podem ser fixados no teto ou na parede, e alguns vêm com controle remoto e opções de programação de temperatura e timer, por exemplo. Silva indica este modelo - ou os elétricos - para ambientes como cozinha e banheiro.

Aquecedores cerâmicos são indicados para cozinha e banheiros

Aquecedores cerâmicos são indicados para cozinha e banheiros

Alternativas
Fora aparelhos portáteis, a arquiteta da Inverso AA cita outras opções para aquecimento. As lareiras - elétricas, a gás ou a lenha - têm custo um pouco mais alto e "dão mais trabalho para ter, por causa da limpeza".

Há ainda os radiadores, que podem ser embutidos, mas exigem espaço maior, para entrada e saída de ar.

O piso aquecido também é uma alternativa, mas bem mais cara e que "não compensa em relação aos aquecedores portáteis", diz Helena. A profissional sugere que se utilize a tecnologia preferencialmente nos banheiros. As alternativas para o tempo frio incluem calefação, estufas elétricas e a lenha.

>> Cuidados na escolha e manutenção de aquecedores
>> Lareiras: conheça os tipos, vantagens e desvantagens

Fonte: PENSE IMÓVEIS
Comente: