Conheça os tipos de extintor de incêndio

Saiba qual modelo usar para cada tipo de fogo: classe A, classe B e classe C

No dia 2 de julho se comemora o Dia do Bombeiro. Em homenagem à corporação, o Pense Imóveis conversou com profissionais sobre os tipos de incêndio e de modelos de extintor, e quais as dicas para evitar acidentes com fogo.

O comandante do 1° Comando Regional de Bombeiros, Humberto Teixeira Santos, explica os incêndios são classificados com letras do alfabeto: fogo classe A, classe B, classe C. A definição do extintor em função do tipo de fogo está ligada com a forma que o equipamento vai parar a queima, ou seja, sobre qual elemento do triângulo do fogo ele vai agir.

O chamado triângulo do fogo tem três componentes, que se combinam para gerar a combustão: o combustível é o que vai ser queimado (madeira, álcool, etc); o comburente, em geral o oxigênio (O2), alimenta parte da reação química; e o calor, que permite o começo da reação química.

Extintor de água

Tipos de fogo
Na classe A estão os fogos produzidos a partir dos materiais que deixam resíduos quando queimam: madeira, papel, tecido e plástico, por exemplo. Para esse tipo de fogo usa-se o extintor de água ou o de espuma química (OQ). Ambos agem através do resfriamento, ou seja, retirando o calor e desmontando o triângulo do fogo.

No corpo dos equipamentos indicados para esses fogos vê-se um triângulo verde com a letra A no interior. Os modelos EQ agem, ainda, por abafamento (retirando o oxigênio de perto da chama) e são mais eficientes contra fogos classe B e C - pela cobertura ampla, são os indicados para cozinhas e garagens residenciais.

Extintor de água
Extintor de água não deve ser usado em fogos do tipo B ou C

A combustão classe B ocorre quando a chama vem de líquidos inflamáveis, como gasolina e álcool. A água, nesses casos, só espalharia o líquido, alastrando o fogo. Por isso, os extintores indicados para chamas classe B - que trazem um quadrado vermelho acompanhado da letra B - são os de pó químico seco (PQS), que funcionam à base de bicarbonato de sódio e aditivos, na maioria das vezes. Esses modelos funcionam por abafamento e também têm eficácia contra chamas do tipo C.

Extintor de gás carbônico

Quando o que está queimando são materiais elétricos ou energizados (como motores), tem-se o fogo classe C. A água conduz energia, e por isso não deve ser usada nesses casos. A recomendação é usar os extintores de gás carbônico, que funcionam com dióxido de carbono puro (CO2), não-condutor de corrente. Esses modelos - que trazem um círculo vermelho com a letra C dentro - tiram o oxigênio de perto do fogo, e como a chama precisa de oxigênio para se alimentar, ela se apaga.

Extintor de gás carbônico é indicado para fogos classe B e C

Apesar de indicados às queimas de classe C, os extintores de gás carbônico também são eficientes para fogos classe B.

Injeção
Dependendo da técnica usada para liberar o conteúdo do extintor sobre o fogo, os equipamentos são definidos como pressurizados ou de pressão injetada - no caso específico dos de água, pode-se chamá-los também de água-gás. Nos modelos pressurizados, a água, a espuma ou o pó químico seco no interior do cilindro já está com pressão, e basta acionar o botão para que a substância seja expelida. No caso da pressão injetada, a força vem de um cilindro anexo, que libera gás carbônico no cilindro principal para que seu conteúdo seja propelido.

Extintor de PQS
Extintor de pó químico apreseta manômetro, para medir pressão do fluido no interior do cilindro.

O comandante do 1° CRB lembra, por fim, que é preciso verificar periodicamente a validade do extintor. A dica vale principalmente para o equipamento dos carros, que é um dos itens de segurança e que pode gerar multa caso esteja vencido.

>> Veja as dicas para prevenir acidentes com fogo

Comente: