Mulheres ficarão com imóvel do Minha Casa, Minha Vida em caso de divórcio

A regra valerá para famílias com renda mensal de até três salários mínimos, inscritas no programa. A única exceção será quando o pai tiver a guarda exclusiva dos filhos

A presidente Dilma Rousseff anuncia na noite desta quinta-feira, 8 de março de 2012, Dia Internacional da Mulher, uma mudança nas regras de propriedade do programa Minha Casa, Minha Vida para garantir que as mulheres fiquem com os imóveis em caso de separação. A partir de agora, se houver divórcio ou dissolução de união civil estável, o imóvel ficará, necessariamente, em nome da mulher.

A regra valerá para famílias com renda mensal de até três salários mínimos, inscritas no programa. Nessa faixa de renda, o subsídio do governo para a compra do imóvel chega a 95% do valor. A única exceção será quando o pai tiver a guarda exclusiva dos filhos. Neste caso, o marido ficará com o imóvel após a separação.

Segundo o porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, a mudança segue a mesma lógica de outros programas do governo, como o Bolsa Família, de privilegiar as chefes de família como beneficiárias. A mudança será editada por meio de medida provisória, que será publicada ainda nesta quinta-feira, 8 de março, em edição extraordinária do Diário Oficial da União.

O anúncio será feito durante o pronunciamento oficial de Dilma para o Dia Internacional da Mulher, que irá ao ar em cadeia nacional de rádio e televisão às 18h50. Além da mudança no Minha Casa, Minha Vida, a presidenta deverá falar sobre outras políticas e programas do governo voltados para as mulheres. O pronunciamento foi gravado na semana passada, antes da viagem de Dilma à Alemanha.


Leia mais:
>> Veja como financiar um imóvel
>> Gastos com Minha Casa, Minha Vida serão reclassificados para aumentar investimentos
>> Governo deve decidir até junho se aumenta meta do Minha Casa, Minha Vida 2

Fonte: AGÊNCIA BRASIL
Comente: