Saiba como economizar de forma inteligente em reformas e construções

Com o assessoramento de bons profissionais e escolhas adequadas, arrependimentos futuros podem ser evitados na hora de reformar ou construir sua casa

Reformas e construções são, inegavelmente, desgastantes. Pedreiros, pintores, eletricistas circulam para cima e para baixo na sua casa, durante dias ou até meses em meio à poeira, estoque de materiais de construção e caliça que parecem não ter fim. E, para piorar a situação, há ainda um outro fator que gera estresse imediato quando não planejado de forma inteligente: o orçamento da obra. Como economizar quando o assunto é reforma ou construção? É possível diminuir os gastos em materiais e mão-de-obra sem causar problemas futuros?

reforma-construção-material de construção-pedreiro

 

O primeiro passo, segundo o engenheiro Luis Carlos Bonin, professor do Departamento de Engenharia Civil da UFRGS, é compreender que barato não é sinônimo de econômico. É preciso analisar a relação custo-benefício de cada compra ou serviço contratado. Uma solução com materiais de baixo custo, por exemplo, pode ter como consequência a sua menor durabilidade, ocasionando retrabalho e prejuízos no curto prazo. Portanto, segundo Bonin, economia é fazer a melhor escolha.

Para o engenheiro, outra forma de diminuir despesas de forma inteligente é contratar um engenheiro para prestar assessoramento durante a obra. “A missão desse profissional é ter a melhor solução”, garante. Dessa forma, a principal contribuição da contratação de uma pessoa especializada é o seu conhecimento, que oferece mais vantagens do que custos para o cliente.

Divulgação / clicRBS

Projeto arquitetônico
As soluções de um arquiteto também podem trazer vantagens para o orçamento de uma construção ou reforma. Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, contratar um profissional dessa área pode ser um custo viável. Para se ter uma ideia, segundo o arquiteto Eduardo Bimbi, do Sindicato dos Arquitetos no Estado do Rio Grande do Sul, o valor de um projeto arquitetônico é cerca de 3% do custo geral de toda a obra de uma residência. Dessa porcentagem, 1,5% equivale a projetos complementares, como hidráulico e elétrico, por exemplo.

Outro benefício que o arquiteto traz ao cliente é o seu conhecimento sobre a qualidade dos materiais empregados no mobiliário, garantindo a durabilidade e o funcionamento adequados, conforme explica Camila Zanini, arquiteta da Escola de Engenharia da UFRGS. É o arquiteto também que poderá dar orientações de quando vale a pena investir em determinado item. Por exemplo, será que é inteligente gastar valores altos em um quarto de criança, sendo que elas crescem tão rapidamente? Talvez, o valor gasto superfluamente nesse ambiente pudesse ser destinado para outro cômodo da casa.

Divulgação / clicRBS

Saiba quem contratar
E como escolher profissionais competentes para trabalharem na sua reforma ou construção? Segundo Bonin, para contratar engenheiros e arquitetos, a melhor solução é avaliar o seu prestígio no mercado. O sistema de indicações, o chamado “boca a boca”, portanto, segue bastante válido. É preciso conversar com pessoas que já contrataram os serviços desses profissionais e conferir os trabalhos finalizados.

A mesma orientação serve para os profissionais que serão responsáveis pela mão-de-obra, como pedreiros, pintores e eletricistas. Pesquisar e obter boas referências do profissional pode evitar desgastes futuros com trabalhos malfeitos.

Leia mais
>> Acerte na compra do material de construção
>> Pintura na fachada exalta a beleza exterior
>> Saque o pincel para mudar a cor da casa
>> Azulejos: vale a pena pintar os velhos, colar o novo em cima ou quebrar tudo?
>> As aventuras de uma reforma
>> Como contratar profissionais para reformas e pequenos reparos

Fonte: LETÍCIA BERNARDINO  -  PENSE IMÓVEIS
Comente: